Patas na Rede

sábado, setembro 30, 2006

Marley e eu

"Marley e eu"

Apelidado por seu próprio dono de "pior cachorro do mundo", Marley faz sucesso em best-seller americano. O livro de John Grogan, lançado em outubro do ano passado, conta as trapalhadas de um labrador denominado "uma bola de pêlo em forma de cachorro". "Marley e eu: A vida com o pior cachorro do mundo", já teve 650 mil cópias vendidas.

Marley rapidamente se transformou em um enorme cachorro de quarenta e três quilos levando seus donos, John e Jenny à loucura. Ele arrombou portas, babou nas visitas, roeu o sofá, roubou comida da mesa de jantar, bebeu água do vaso sanitário, comeu luvas, toalhas e até um anel de ouro.

De nada valeram os calmantes receitados pelo veterinário e muito menos a "escola de boas maneiras", de onde foi expulso. Apesar disso tudo, Marley tinha um coração puro.
O livro é uma homenagem à Marley, que morreu há dois anos, que fala sobre o amor incondicional e a lealdade do cachorro.

Será que é possível descobrir a felicidade através de um cachorro?
Leia o livro e saberá a resposta.

4 Comentários:

  • Às 6:41 PM , Anonymous matheus disse...

    é q vcs ainda naum conheceram a julie.essa sim é uma desgraça.mais eu adoro ela

     
  • Às 11:24 PM , Anonymous Renata disse...

    Ameiiiiiiiii....
    Gente,o blog eh uma delicia e essa historia do labrador eh otima...eu tenho duas cadelas terriveis,mas nao conseguiria viver sem elas roendo tudo!!!!!
    A minha Paneka destruiu ate a porta da minha sacada,sapatos...
    Mas sao tudo pra mim!

    Parabens pelo blog,show de bola!

     
  • Às 12:02 AM , Anonymous cristiane disse...

    ai como são fofos...com certeza já me emocionei só de ler este pouquinho...ler o livro então! bjs a todos Cristiane - mãe do Fidalgo um cachorro muito fofo

     
  • Às 10:53 PM , Anonymous Anônimo disse...

    Eu me emociono facilmente quando o assunto é animal, que pra mim não existe nada mais puro e doce que o amor de um cachorro por seu dono. O filme é tão lindo, porém com um final inevitável. Chorei por tres dias consecutivos. Enfim, nós que amamos incodicionalmente os cachorros temos que estar preparados para isso. ROSANGELA - MÃE DE BETOVEN - SHARPEI - 6 ANOS

     

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial